Banda larga 3G no PC multiplica as reclamações. Veja dicas e pacotes

Por Daniela Braun

Em pouco mais de um ano de oferta de banda larga 3G a usuários de notebooks, netbooks e desktops pelas principais operadoras de telefonia móvel do Brasil, o número de consumidores em busca de uma oferta complementar de acesso e mobilidade ou da única opção de banda larga em suas regiões se multiplicou.

O volume de reclamações, contudo, seguiu o mesmo ritmo provocado pela instabilidade inerente ao acesso móvel e pela falta de informação sobre o serviço.

De janeiro a abril deste ano, o site Reclame Aqui, que abre espaço para a defesa de consumidores na internet, registrou 13.732 reclamações envolvendo serviços de banda larga 3G, um salto de 85% sobre o volume de 7.132 reclamações registradas no segundo semestre de 2008.

Segundo a IDC Brasil, o volume conexões de banda larga com modems 3G atingiu 2 milhões em 2008. O crescimento de 51,3% verificado entre junho e dezembro do ano passado deve se repetir no primeiro semestre deste ano, elevando o número de conexões 3G a mais de 3 milhões.

De acordo com as operadoras, a cobertura do serviço já chega a 60% do território brasileiro. No entanto, a qualidade do serviço ainda é muito instável. A velocidade sobe, desce e dependendo do lugar não funciona (…)

As torres que transmitem o sinal também têm uma capacidade limitada de acordo com o número de usuários atendidos.

A variação foi comprovada em um teste realizado em três regiões distintas da cidade de São Paulo. A análise feita com modems 3G das operadoras Claro, Oi, TIM e Vivo, conectados a um notebook, mostra que a velocidade de acesso em todos os serviços varia de acordo com o tipo de tarefa e com a localização geográfica do usuário.

Ainda há problemas técnicos e de esclarecimento sobre o serviço no Brasil. 75% das reclamações sobre banda larga 3G, este ano, envolveram variação de velocidade ou até ausência de sinal e 22% compreendem problemas de atendimento das operadoras.

A pessoa que está contratando o serviço geralmente não entende muito do assunto. E, em muitos casos, o próprio SAC não consegue explicar como funciona o serviço ou como fazer a instalação.

Insatisfeito com a velocidade de acesso, o leitor Sandro Roberto, de Juiz de Fora, no Rio de Janeiro, afirma que cancelou recentemente seu pacote de banda larga 3G. “Eu utilizava a conexão da Oi mas cancelei por insatisfação com a velocidade, já que a mesma só atingia velocidade de GPRS [rede 2,5 G] apesar de mostrar status de EDGE [3G]”.

Segundo as operadoras, a tecnologia HSDPA (High Speed Downlink Packet Access), que permite a transmissão de dados móveis em alta velocidade nas redes 3G, é sensível a diversos fatores. “O serviço está sujeito a condições topográficas, distância do usuário em relação à antena, número de pessoas que compartilham o serviço na mesma região e até condições climáticas.

O leitor Leonardo Barros, de São Paulo (SP), relata que sua internet 3G da Claro apresenta problemas como lentidão na abertura de páginas e instabilidade na conexão – casos de quatro tentativas de conexão por queda do sinal.“Não é o modem, pois tenho dois (Huawei e226 e Sony Ericson) e não é o sistema operacional, pois uso dois (Ubuntu 9.04 e Windows XP)” comenta o usuário.

Barros também observa que o suporte é um problema: “Os atendentes não explicam [sobre o serviço 3G] corretamente. As informações não são as mesmas” e afirma considerar alto o valor de 69 reais mensais pelo acesso a uma velocidade de até 500 Kilobits por segundo (Kbps). “Enfim, tenho doze meses para ficar com essa internet”, conclui.

1 2 3 Próximo »

4 Comments

  1. odete 13 de junho de 2011
  2. Anônimo 27 de junho de 2009
    • sidneybritogusmao 22 de abril de 2011
  3. Anônimo 7 de junho de 2009
  4. Pingback: Limitações da Banda larga 3G 13 de maio de 2009

Deixe seu Comentário