Amazon vai pagar mais a autores de livros vendidos no Kindle

O site de varejo Amazon.com lançou um plano nesta quarta-feira para oferecer a escritores e editoras uma parcela maior dos ganhos obtidos com livros baratos vendidos para seu popular aparelho de leitura Kindle.

Sob o novo programa, que entra em vigor em 30 de junho, autores e editoras terão direito a receber 70% do preço de um livro, líquido dos custos com entregas.

O plano é limitado aos livros cujos preços de tabela estejam entre US$ 2,99 e US$ 9,99.

O programa maior de royalties também é restrito a livros cujos preços de lista estejam pelo menos 20% abaixo do menor preço de um livro de papel, afirmou a Amazon.

O Kindle, lançado em 2007, é um dos produtos mais vendidos da Amazon. Mas, mais recentemente, o aparelho passou a sofrer concorrência de leitores eletrônicos rivais desenvolvidos por empresas como Barnes & Noble e Sony.

Enquete: Você consegue ler um livro inteiro numa tela digital?

Escritores normalmente recebem entre 7 e 15% do preço de lista de livros tradicionais, de papel, ou 25% das receitas que editores recebem por seus livros digitais, afirmou o vice-presidente para conteúdo do Kindle, Russ Grandinetti, em comunicado.

A nota não especificou qual é o nível atual de pagamento de royalties dos livros que são alvo do novo programa da Amazon.

Veja por que o Kindle vende mais que o iPad »

Deixe seu Comentário