Testamos o Netbook eCafé

por René Ribeiro

Fabricado pela Hercules, que fabrica acessórios para PC, o Netbook e-Café vem com tela de 8,9”, 512MB de RAM e HD de 60GB e bateria com autonomia de 5 horas.

O netbook e-Café vem com sistema operacional Linux edição Mandriva, customizado de forma a não dar nenhum trabalho para o usuário. É ligar e usar.

A rede Wi-Fi, por exemplo, já está configurada e basta dar o comando para buscar uma rede ao alcance, digitar a senha e sair navegando.

Nele já estão instalados e prontos para serem usados um programa de comunicação instantânea, o pacote OpenOffice, leitor de PDF, gerenciador de fotos e até player de vídeo, inclusive para DVD externo.

Netbook eCafe

Hardware

O e-Café utiliza um processador atual, o Atom N270, de 1,6 GHz, o mesmo usado pelos grandes fabricantes. Ele traz ainda chipset gráfico Intel GMA 950 (bom, mas sem novidades em desempenho), 512 MB de memória e o disco rígido com capacidade para 60 GB, mas a empresa garante mais 30 GB de espaço em seu site, gratuito por um ano.

Estão presentes ainda três portas USB, porta fast Ethernet e rede sem fio padrão 802.11n (o mais atual para redes Wi-Fi – a maioria dos netbooks ainda utiliza 802.11g), slot para leitor de cartão SD, saída VGA e conectores para fone de ouvido e microfone.
Netbook eCafe
Sua tela LCD tem 8,9 polegadas com resolução de 1024 x 600 pontos (sem novidades), com uma webcam de 1,3 megapixel na parte superior. Mesmo com uma tela desse tamanho, o e-Café apresenta dimensões de um netbook de tela de 7”: 22,5 centímetros de largura por 16,9 cm de profundidade.

A altura, quando fechado, é de 3cm, mas como utiliza uma bateria de seis células e parte dela forma um apoio para o equipamento, ele acaba ficando com o fundo mais alto, atingindo 5cm de altura.

Seu peso é ideal para quem exige mobilidade (1,2 quilo e mais 180 gramas da fonte de alimentação). Mas por ser tão pequeno suas teclas não ajudam em digitação rápida. Em contrapartida, a bateria durou 5 horas e quatro minutos.

Desempenho

A memória de 512 MB não foi empecilho para o Linux, onde os aplicativos rodavam sem problemas. Mas com o Windows XP instalado (o fabricante fornece todos os drivers) nota-se pequenas pausas na hora de alternar entre aplicativos abertos, mas não suficiente para tirar alguém do sério.

Caso queira, você pode substituir a memória por um pente de 1GB – netbooks só trazem um slot, por isso não dá para acrescentar mais 512MB a ele.

Atualizamos o XP para o SP3, que é um download grande, para verificar a qualidade do sinal e conexão da placa de rede Wi-Fi e também não houve problemas. Sentimos mais lentidão na carga de programas, tanto no Linux quanto no Windows.

Ao rodar softwares para medir taxas de transferência do disco rígido, encontramos o culpado: o HD de 60 GB transferia dados apenas a 28 MB/seg., no máximo. Os discos geralmente alcançam 50 MB/seg.

O e-Café tem configuração de hardware atual e pode rodar softwares como PowerPoint, Word, Excel sem sustos. A placa de rede Wi-Fi também foi bem no desempenho. Usar Linux customizado é uma boa escolha da empresa, pois facilita muito para quem não quer saber de mexer em configurações; tudo está pronto para uso e ainda resultam em um custo final menor.

A pouca memória e HD pequeno resulta em um preço mais baixo: 1295 reais. Um netbook dessa categoria custa, em média, um pouco mais, 1.590 reais.

3 Comments

  1. Marcio Roberto 1 de junho de 2020
    • Eduardo Martins 1 de junho de 2020
  2. junior 17 de agosto de 2012

Deixe seu Comentário