Qual a diferença de filmes 3D antigos e atuais?

Os filmes animados por computador atuais fazem um excelente trabalho ao reproduzir ambientes tridimensionais.

Em filmes como “Os Incríveis”, “Carros” e “Shrek” os personagens parecem existir de verdade, movendo-se e interagindo com o cenário.

É preciso muito trabalho e noção de como as pessoas enxergam estas imagens para que elas tenham este efeito.

Os produtores até fazem modelos de seus personagens, conhecidos como maquetes, para os ajudar a descobrir como um personagem em 3D agiria em tal ambiente.

Filme eD - A Família do Futuro

Filmes animados em 3D como o “A Família do Futuro” utilizam sombras, texturas, tamanhos relativos de diferentes objetos e outras ferramentas para reproduzir um ambiente tridimensional

Nos últimos anos, produtores decidiram dar um passo à frente na tentativa de recriar um ambiente tridimensional numa tela. Com a chegada do 3-D digital, os animadores podem enganar seus olhos e seu cérebro e fazê-los pensar que estão diante de um espaço tridimensional em vez de uma tela comum de 2-D. O resultado final é como se olhássemos por uma janela para um mundo tridimensional real, ou como se os personagens estivessem presentes na sala do cinema. Embora seja semelhante a de filmes em 3-D antigos, a tecnologia é consideravelmente mais avançada.

Ambos dependem de ilusões de ótica para criarem cenas panorâmicas e com profundidade ou objetos que parecem saltar da tela. Humanos têm visão binocular. Cada olho enxerga uma imagem diferente e o cérebro as combina em uma única imagem. O cérebro utiliza a sutil diferença angular entre as duas imagens, conhecida como desvio, para auxiliar na percepção de profundidade. É por este motivo que pessoas que perdem a visão de um dos olhos têm dificuldade de noção de espaço.

Os filmes em 3-D antigos usavam imagens anáglifas para tirar vantagem da visão binocular e do desvio. Essas imagens incluem duas camadas de cor numa única tira do filme reproduzida por um projetor. Uma das camadas é predominantemente vermelha e a outra, azul ou verde. Para assistir ao filme, é preciso usar um óculos 3-D com uma lente vermelha e a outra azul ou verde. Essas lentes forçam um olho a enxergar a seção vermelha da imagem e a outra, a seção azul ou verde. Por causa das diferenças entre as duas lentes, seu cérebro as interpreta como uma imagem de três dimensões. Porém, por causa do uso de lentes coloridas, a coloração da imagem final não é precisa. Este tipo de tecnologia 3-D já fez com que algumas pessoas tivessem dores de cabeça, lesões oculares e náusea.

Óculos 3D feitos de estojo de cd

Os filmes em 3-D antigos utilizavam óculos com lentes coloridas para criar um efeito tridimensional. Os filmes mais recentes utilizam óculos com lentes polarizadas.

A tecnologia 3-D digital também utiliza imagens para enganar sua visão. Porém, em vez de usar cores para filtrar as imagens em cada olho, a maioria dos sistemas utiliza a polarização. Lentes polarizadas filtram apenas ondas de luz que são alinhadas na mesma direção. Num par de óculos 3-D, cada lente é polarizada de forma diferente. Em alguns óculos, existe uma diferença de 90 graus na polarização. Outros utilizam diferentes alinhamentos de polarização circular. A tela é especialmente desenvolvida para manter a polarização correta quando a luz do projetor é refletida. Nos filmes que utilizam essa tecnologia, em vez de um amontoado de imagens vermelhas e verdes, as imagens ficam um pouco embaçadas, quando vistas sem os óculos.

Deixe seu Comentário