Profissionais de Informática – Conhecimentos necessários

Esta é a 2ª parte do artigo “Profissionais de Informática – Requisitos Básicos

Infelizmente, no Brasil vive-se numa sociedade pouco independente e que valoriza por demais outras culturas, principalmente a cultura norte-americana.

Podemos nos basear, sim, nas coisas boas das outras culturas mas devemos principalmente valorizar e procurar expandir as fronteiras da nossa própria cultura, não por ufanismo mas, principalmente, pela criação de oportunidades que isto proporciona.

Aprender inglês é um diferencial, uma coisa que vai ajudar em uma colocação profissional ou facilitar a comunicação, não deve ser encarada como uma obrigação ou como um sinal de ascensão social. Ninguém é melhor do que ninguém porque fala inglês.

Conhecer LINUX, ou ser especialista em ORACLE ou ser “fera” em WINDOWS NT, não torna o profissional melhor, torna-o um especialista em uma determinada ferramenta. O profissional deve ser suficientemente flexível e culto para poder se adaptar rapidamente a qualquer tecnologia ou produto que apareça pela frente. Para isto ele precisa de uma formação, de uma base sólida que lhe proporcione esta flexibilidade, sendo que “base sólida” não significa, necessariamente, formação longa, principalmente nas áreas onde a tecnologia está evoluindo rapidamente.
Abaixo algumas perguntas muito comuns entre os profissionais, iniciantes ou tarimbados :

“Para que eu tenho que ter aulas de dinâmica de grupos ?”
“Eu preciso mesmo ter aulas de algoritmo em um curso de Redes de computadores ?”
“Eu só mesmo conhecer as ferramentas em uso nas empresas, para que esta teoria toda ?”

Eu responderia o seguinte :
Pense em sua formação como pessoa, como um ser social, para depois pensar em sua formação como profissional, para finalmente pensar em sua formação como técnico especialista…

Nenhuma Resposta

  1. Pingback: Profissionais de Informática - Requisitos Básicos 10 de novembro de 2008

Deixe seu Comentário