Office 2013 e Office 365 em um tablet

A Microsoft está apostando pesadamente na idéia de que tablets são o futuro dos PCs.

Assim como o Windows 8, o Office 15 foi construído “do zero” para tirar vantagem dos recursos únicos dos tablets, ao mesmo tempo em que leva em conta as limitações de uma tela sensível ao toque na criação de conteúdo.

Rodamos o Office 15 em um “Slate PC” Samsung Series 7 rodando o Windows 8 Consumer Preview para ver o quão bem o pacote se sai em um tablet. Tenha em mente que este tablet está rodando o Windows 8 Pro, e não o Windows RT, e que o Office 2013 e Office 365 são diferentes do “Office for RT” que será incluso com os tablets com processador ARM.

A Microsoft fez um grande trabalho ao tornar as ferramentas e funções dos vários aplicativos do Office acessíveis em uma interface sensível ao toque sem sacrificar recursos. Por exemplo, segurar o dedo sobre uma palavra escrita incorretamente no Word faz surgir uma lista de possíveis correções, e o mesmo gesto em outros pontos da interface chama um menu contextual, o mesmo normalmente acessado com um clique do botão direito do mouse.

Tela inicial do Office 2013

A tela inicial do Word 2013 é perfeitamente adaptada às telas sensíveis ao toque

Às vezes é difícil tocar em algumas das opções na Ribbon. Os botões são um pouco pequenos para meus dedos, e não dá para usar o já tradicional gesto de pinça para ampliar a Ribbon. Por outro lado, você pode fazê-la desaparecer para maximizar a área disponível para seu documento, tanto no Office 2013 quanto no Office 365, o que é bom.

O pacote Office 2013 para tablet inclui o Word, Excel, PowerPoint, OneNote, Outlook, Publisher, Access, Lync e alguns outros programas. Entretanto, os únicos programas disponíveis no Office 365 são o Word, Excel, PowerPoint e OneNote. O Outlook também é parte do Office 365.

O Office num tablet é um recurso do sistema operacional (Windows 8) e do hardware, e não do Office propriamente dito. O teclado virtual é sensível e fluido o suficiente para permitir que eu digite praticamente a toda velocidade. E tocar no botão “símbolos e números” faz surgir um teclado numérico propriamente dito, que é muito mais eficiente na hora de digitar valores em uma planilha do Excel.

Pode ser um pouco incômodo ter de ficar clicando no ícone do teclado no rodapé da tela para abrir o teclado virtual. Seria legal se os aplicativos do Office reconhecessem quando eu toco em um campo de texto e respondessem abrindo automaticamente o teclado, como acontece em quase qualquer smartphone ou tablet moderno. Talvez a Microsoft tenha feito isso para conservar o limitado espaço na tela e deixar que os usuários naveguem pelos documentos sem ter o teclado “pulando” na tela o tempo todo.

No geral, a experiência é sólida. Usar o Office em um tablet é diferente de usá-lo em um PC tradicional com teclado e mouse, mas ainda assim é um arranjo funcional. A Microsoft claramente investiu muito tempo e esforço para garantir que a experiência de uso de seu pacote em um tablet faça jus ao nome Microsoft Office.

Uma Resposta

  1. Paulo Renato N.Pinto 27 de agosto de 2012

Deixe seu Comentário