Judeus já podem enviar prece ao Muro das Lamentações

Alguns querem uma esposa, outros pedem filhos, uma cura milagrosa ou um alívio nas contas de casa.

Agora alguns fiéis estão buscando a intervenção divina (ao custo de 80 dólares) pela internet.

Veja o site www.westernwallprayers.org e entenda o que é esta nova ‘revolução’. A página (sediada em Jerusalém, é claro), é especializada no envio de uma equipe de “agentes” que oram em um dos locais mais sagrados do judaísmo em nome de quem não pode chegar ao Muro das Lamentações.

A responsável pelo serviço é Batya Burd, uma judia devota que vive na Cidade Velha de Jerusalém, montou seu negócio para fornecer ajuda espiritual e, segundo ela, milagres religiosos.

A mulher de 33 anos, mãe de dois filhos, desistiu da carreira de advogada no Canadá para morar em Israel e coletar pedidos vindos de todo o mundo que são depois levados ao Muro das Lamentações por um agente.

Como funciona

Você envia sua prece e ela é recitada pelo emissário no muro diariamente, por 40 dias. Muitos visitantes do local sagrado escrevem suas preces em pedaços de papel, que são pressionados contra as reentrâncias do muro. Você pode enviar por email, do conforto do seu lar.

Quando eu percebi as necessidades ao redor de mim aqui em Jerusalém elas eram em sua maioria financeiras, enquanto as necessidades das pessoas de onde eu venho são em sua maioria espirituais”, disse Burd. “Isso (o site) foi uma maneira de unir as duas coisas.

Burd já escreveu preces para mais de 800 pessoas e afirma que obteve vários “milagres”, incluindo o de um homem que encontrou sua alma gêmea, uma mulher que ganhou na loteria e duas pessoas que afirmaram que se curaram de câncer.

“Quanto mais sinceramente você acreditar em algo, mais Deus permite que aconteça”, disse ela em referência às críticas dos céticos.

E a Psicologia reza que o homem prefere acreditar naquilo que ele quer que seja verdade…

3 Comments

  1. charles generoso 2 de janeiro de 2011
  2. charles generoso 29 de dezembro de 2010
  3. charles generoso 29 de dezembro de 2010

Deixe seu Comentário