Google compra AdMob para publicidade em telefonia móvel

Em um esforço por expandir o seu império na publicidade digital aos telefones celulares, o Google fechou acordo para adquirir a AdMob, uma empresa iniciante mas de crescimento muito rápido no segmento de publicidade para telefonia móvel, por US$ 750 milhões em ações, anunciaram as duas companhias.

A AdMob é uma das principais vendedoras de anúncios em formato banner para os aplicativos do Apple iPhone e para páginas de web criadas para exibição em celulares.

A aquisição ajudaria a dar ao Google liderança antecipada no mercado de publicidade em celulares, que está em rápida expansão.

“O acordo demonstra que o Google está levando a sério sua ambição de se tornar participante de primeira importância no ecossistema da publicidade em celulares”, disse Neil Strother, analista da Forrester Research. “Isso coloca o Google em vantagem diante dos competidores”.

Strother e outros analistas afirmam que essa posição pode se provar tênue, no entanto. O negócio de publicidade para celulares, que por muito tempo foi alardeado como um dos mercados de maior potencial, continua embriônico. As vendas de publicidade para celulares movimentaram apenas US$ 160 milhões no ano passado, de acordo com o Kelsey Group, que faz pesquisa de mercado, e a vasta maioria desse montante foi dedicada a anúncios distribuídos via mensagens de texto.

Para referência, os anunciantes investiram mais de US$ 23 bilhões em publicidade na internet em 2008, de acordo com o Internet Advertising Bureau.

A crescente popularidade do iPhone e de outros aparelhos portáteis de alta potência garante que volume maior de anúncios venha a ser dirigido a eles, mas as previsões quanto ao crescimento desse setor variam fortemente.

“Vemos a telefonia móvel como uma grande oportunidade de crescimento para nós”, disse Susan Wojcicki, vice-presidente de administração de produtos no Google, em entrevista. “Vemos uma oportunidade de trabalhar com a AdMob a fim de realmente acelerar os nossos esforços em um segmento que está se provando importante para o Google”.

O Google já está em vantagem diante de seus rivais, Microsoft e Yahoo, em um dos segmentos da publicidade para aparelhos portáteis: anúncios vinculados a buscas. A aquisição da AdMob, cujos clientes publicitários incluem Procter & Gamble, Adidas e Land Rover, ajudará a empresa a expandir sua atuação à publicidade em formato convencional.

A transação realizada integralmente com ações é modesta para o Google, dado o valor de mercado de quase US$ 177 bilhões da companhia. Mas é a terceira maior que o grupo já realizou, atrás da aquisição da DoubleClick, uma empresa especializada em serviços publicitários, por US$ 3,1 bilhões, no ano passado, e do US$ 1,65 bilhão pago pelo YouTube em 2006.

Já que o negócio básico do Google, a venda de publicidade vinculada a buscas, está se desacelerando, a empresa está em busca de negócios que possam representar novas fontes de crescimento. Suas atenções estão concentradas em duas áreas, especialmente: a publicidade online convencional, um segmento em que a empresa ficou para trás de rivais como o Google, e a publicidade para celulares.

A ambiciosa incursão do Google ao mercado de telefonia móvel inclui aplicativos de busca e mapas para celulares e o sistema operacional Android, para celulares inteligentes. A AdMob também vende anúncios em formato banner veiculados em aplicativos para celulares inteligentes acionados pelo Android, e a aquisição pode ajudar o Google a lucrar com esse mercado em expansão.

A AdMob foi fundada por Omar Hamoui em 2006, enquanto ele fazia sua pós-graduação na Escola Wharton de Administração de Empresas, Universidade da Pensilvânia. A empresa é uma das poucas companhias iniciantes do setor de telefonia móvel que conseguiram superar as gigantes do setor e se estabeleceram como líderes nesse mercado emergente. Os analistas disseram que outras empresas, como a JumpTap, Millennial Media e Quattro Wireless, devem atrair o interesse de rivais do Google, como a Microsoft e Yahoo.

“Suspeito que o mercado esteja maduro para uma consolidação”, disse Noah Elkin, analista da eMarketer.

A AdMob recebeu US$ 47 milhões em capital da Sequoia Capital, Acel Partners e outros investidores, e tem cerca de 140 funcionários. Em entrevista, Hamoui, que serve como presidente-executivo da companhia, se recusou a revelar o faturamento da empresa mas disse que suas vendas haviam mais que dobrado nos últimos 12 meses. O Google anunciou que esperava concluir a aquisição nos próximos meses. O negócio deve ser revisado pelas autoridades regulatórias, mas Wojcicki afirmou que não prevê problemas para a aprovação.

“Acreditamos que a publicidade em celulares é um segmento muito competitivo, não vemos grandes motivos para preocupação regulatória”, ela disse. Críticos da rápida expansão do Google, porém, afirmam esperar que o acordo passe por rigorosa revisão.

“Chegamos a um ponto na evolução do Google em que as agências regulatórias de Washington e os comitês do Congresso precisam observar com mais atenção o domínio que a companhia exerce sobre os serviços de internet¿, disse Marc Rotenberg, diretor executivo do Centro pela Privacidade na Informação Eletrônica, que combateu a aquisição da DoubleClick pelo Google.

Deixe seu Comentário