Como evitar o reflexo na tela brilhante do notebook?

Não, você não vai encontrar dicas para enxergar melhor a tela do laptop. É uma pergunta mesmo: O que fazer?

A nova geração de laptops impressiona qualquer um. Os notebooks têm design bacana, são bem leves e contam com recursos bem poderosos. Já as telas glossy…

De dois anos para cá, quase todos os notebooks saem de fábrica com tela brilhante – uma praga que se generalizou, espalhando reflexos para todo o lado. Não importa o fabricante, a tela é glossy. E brilha muito mesmo!

O brilho das telas é apresentado como vantagem – mas, na verdade, é um obstáculo irritante.

Com uma tela dessas, é preciso checar o sol antes de sentar em algum lugar aberto. Mesmo se você estiver em casa ou em algum recinto fechado, dependendo da hora do dia, é preciso baixar cortinas ou fechar janelas e portas para se livrar dos reflexos.

Só uma pessoa enxerga a tela
Outro incômodo dos diabos é quando você precisa mostrar algo a outra pessoa. Abaixar e levantar a tampa várias vezes até acertar o ângulo certo se torna um exercício obrigatório e cansativo. Enfim, é uma chateação só.

O argumento dos fabricantes é o seguinte: com as telas brilhantes, os estranhos não podem ver o que você vê. Mas isso não justifica tamanho incômodo. Pode justificar para agentes secretos, mas para as pessoas comuns é um mico.

Compaq Armada e500Aqui no Infoescravo Blog utilizamos três laptops:

  1. Toshiba Satellite A135-S4427
  2. Itautec Infoway w7635
  3. Compaq Armada e500

Os dois primeiros são novos, mas o Armada já tem muitos anos de uso. Quer saber qual é o preferido na hora de ir pra rua? O bom e velho Compaq Armada com sua tela TFT fosca anti-reflexo! Apesar de ser uma máquina curta e velha (HD de 6 GB, memória de 128 MB e apenas uma porta USB), dá pra enxergar confortavelmente com a tela em qualquer posição. E a única porta USB é suficiente para conectar o notebook a uma rede wireless.

Será que nós, usuários de laptop, vamos ter que andar pra trás??

6 Comments

  1. Eliza Suelo 11 de maio de 2017
    • Eduardo Martins Menezes 11 de maio de 2017
  2. aloisio 5 de agosto de 2014
  3. Marina 3 de março de 2011
  4. Eduardo Tetera 23 de fevereiro de 2009
  5. ERDB 23 de fevereiro de 2009

Deixe seu Comentário