Como carregadores inteligentes funcionam?

Se tudo isso soa muito complicado, a boa notícia é que, pelo menos, o carregador que você está usando para carregar seu celular ou tablet provavelmente sabe o que está fazendo.

Carregadores inteligentes são aqueles que utilizam um pequeno chip CMOS para monitorar e gerenciar o estado de carga (SoC) e estado de saúde (SoH) das baterias equipadas com um chip semelhante.

Isto existe na maioria das baterias secundárias no mercado, e é onipresente entre os sistemas de íons de lítio.

Este recurso permite que as baterias possam carregar sem que você fique de olho nelas, e sem o medo de que elas superaqueçam ou explodam: quando elas chegam no 100%, o carregador fornece apenas uma carga lenta para mantê-la cheia.

O processo de carregamento dessas baterias ocorre tipicamente em três fases. Na primeira fase, de corrente constante, despeja-se uma grande quantidade de tensão e corrente na bateria.

Como a bateria está quase vazia, há pouco perigo de superaquecimento. A taxa de absorção natural da bateria – a tensão e corrente máximas que podem aguentar sem superaquecimento – muitas vezes é obtida nesta fase.

Assim que a bateria enche a 80% da capacidade, o carregador reduz a corrente mas mantém a tensão de entrada – esta é a segunda fase, de tensão constante.

Isto permite que a bateria quase atinja, sem superaquecimento, a capacidade plena.

No entanto, a corrente cai continuamente à medida que a bateria se enche, ou seja: os 20% finais exigem uma quantidade significativamente maior de tempo do que os primeiros 20%.

A fase final, a cerca de 85% a 95% de capacidade, é conhecida como float: uma carga lenta destinada apenas para assegurar que a capacidade seja mantida em até 100%, e não passe disso.

Uma Resposta

  1. Jonatas Muniz da Silva 1 de julho de 2021

Deixe seu Comentário