Cloud Computing: Ozzie leva Microsoft às nuvens

por Horácio Fialho

Em 94 fui contratado pela Lotus, empresa que se tornou conhecida em todo o mundo quando surgiram os PC´s, pela criação do Lotus 1-2-3, planilha eletrônica que dominou o mercado até o surgimento do Windows e do Excel.

Apesar da Lotus ter uma suite que concorre com o Microsoft Office – Lotus Smart Suite –, o motivo principal da contratação era fazer um forte trabalho com um produto excepcional chamado Notes.

Foi então que me tornei grande admirador de Ray Ozzie, criador e responsável pelo Notes, que na verdade foi o que motivou a IBM a comprar a Lotus em 95.

A história de Ozzie começa quando ele trabalhou na própria Lotus, no desenvolvimento de um produto interessante, chamado Lotus Symphony, de onde saiu em 84 para fundar a Iris Associates e desenvolver o Notes. Em 10 anos de trabalho Ozzie despertou o interesse da Lotus, que comprou a Iris em 94 – podemos dizer até que comprou o Notes.
Com grandes nomes à frente da empresa, como Jim Manzi e Mitch Kapor, a Lotus fez um ótimo trabalho com o Notes, investindo bastante em marketing, criando expressões como “Workgroup Computing” e “Groupware”, para definir o inédito trabalho de computação colaborativa que faz o Notes.

Esse trabalho foi tão bem feito que em 95, a IBM comprou a Lotus – também podemos dizer que comprou o Notes -, por US$ 3,5 bilhões, na época uma quantia significativa.

Talvez um pouco decepcionado pela falta de atenção da IBM com o Notes, que na Lotus era a grande estrela, Ozzie deixou a IBM para fundar a Groove Networks, onde permaneceu até 2005, quando a Microsoft comprou sua empresa.
Na Microsoft, Ozzie foi anunciado como o cara que substituiria Gates quando ele aposentasse, ocupando o cargo de Chief Software Architect, mas na prática, apareceu bem pouco de 2005 até agora, recebendo inclusive críticas por não conseguir sucesso com o Windows Live, onde alguns achavam que ele deveria ter uma participação maior.

Entretanto agora com o lançamento do Azure, que mais que uma nova versão do Windows é uma plataforma para Cloud Computing, fico pensando se a Microsoft, desde que viu a movimentação da Amazon com o Elastic Compute Cloud (EC2) em 2005, colocou o grande Ray Ozzie para trabalhar somente com esse projeto.

Vejamos o desempenho do Azure; particularmente tenho bons motivos para acreditar bastante na capacidade do Ray Ozzie.

Se você quiser ler uma ótima entrevista com ele no ComputerWorld, a versão original em Inglês está aqui e a versão traduzida você lê aqui no Infoescravo.

Deixe seu Comentário