Vídeo à distância – Aulas a qualquer hora

Trânsito congestionado e horas de espera no aeroporto só para assistir a um curso ou palestra? Problemas como esses também estão levando diversas empresas a aderir ao streaming de vídeo — que, de quebra, permite reduzir as despesas com viagens.

A editora Medcel, por exemplo, que complementa os seus livros com cursos preparatórios para as provas de residência médica, trocou a transmissão via satélite pelo streaming das aulas pela internet, para atender aos alunos em boa parte do Brasil.


A transmissão via satélite tem um custo alto e exige que o aluno esteja num lugar programado, na hora marcada. Mesmo com aulas aos domingos, muitos alunos não conseguiam comparecer a uma das 27 unidades da Medcel no país. Os pedidos de reprise aumentaram e, para não gastar mais dinheiro com o aluguel de satélite, em 2006 a empresa passou a transmitir algumas aulas pela web. Aproveitou a infra-estrutura de produção que já tinha — estúdio, auditório e equipamentos — e contratou a WebCasters para fornecer a ferramenta usada na criação das transmissões via internet (com base no Windows Media Encoder) e a hospedagem dos vídeos em seu servidor de streaming.

Hoje, ao comprar os livros preparatórios da Medcel, o aluno recebe login e senha, com os quais pode entrar no site www.medcel.com.br para assistir às aulas ao vivo, aos domingos, ou às reprises. Com a ferramenta da WebCasters, o professor pode incluir no vídeo recursos como apresentações de slides em PowerPoint e até receber perguntas dos alunos, via chat ou e-mail. Outra vantagem, segundo Barbosa, são os controles que a ferramenta oferece. Dá para saber quantos alunos assistiram à aula, em que horário e quanto tempo ficaram conectados.

Esse tipo de controle e de interatividade também está disponível na tecnologia WebMeeting, desenvolvida pela Atitude Mídia Digital. O sistema vem sendo usado pelo laboratório sanofi-aventis nas palestras mensais, exclusivas para médicos, transmitidas ao vivo dos estúdios da Atitude, em São Paulo, pelo site Cardiometabolismo.com.br. São feitas enquetes com os médicos que estão assistindo à transmissão e eles também podem enviar suas perguntas, que são respondidas ao vivo. Os três primeiros eventos tiveram a participação de 675 médicos.

A BSH Continental, fabricante dos eletrodomésticos das marcas Bosch e Continental, adotou o streaming de vídeo para dar conta do treinamento de sua rede de assistência técnica — cerca de 300 empresas espalhadas pelo país — sem aumentar as despesas. Há um grande número de lançamentos por ano, de produtos nacionais e importados, e por isso o custo do treinamento presencial torna-se proibitivo. A despesa média por técnico, num curso presencial, é de 130 reais por dia. E a BSH tem cerca de 2 mil técnicos cadastrados em todo o país, que precisam ser treinados cada vez que um produto é lançado.

Desde o ano passado a empresa vem usando a web para transmitir esses cursos. Os vídeos são enviados para o servidor do provedor DGL Net, em Campinas, responsável pelo streaming. Para vê-los, o técnico pode usar até linha discada. O sistema oferece controles que permitem saber quem assistiu ao treinamento, se chegou ao final, se fez a prova de avaliação e o seu resultado. Atualmente, a empresa dispõe de dez vídeos. Cerca de 900 técnicos já foram treinados por esse sistema.

E sua empresa, pensa em streaming de vídeo para funcionários e parceiros à distância?

Deixe seu Comentário