LinkedIn estreia páginas universitárias

A rede social de contatos profissionais LinkedIn lançou, na segunda-feira (19/08), um novo recurso para ajudar jovens do ensino médio a encontrar a instituição de ensino superior que melhor atenda às suas expectativas de carreira.

Na tentativa de expandir o serviço para o público mais jovem, o LinkedIn agora permite que universidades criem páginas acadêmicas especiais –de forma similar como outras empresas e marcas já podiam fazer.

Nelas, os estudantes terão a oportunidade de encontrar informações institucionais e comentários de alunos e ex-alunos sobre a faculdade procurada, além de descobrir onde trabalham e quais cargos os universitários, formados ou não, ocupam atualmente.

Para isso, o LinkedIn vai reduzir, a partir de 12 de setembro, a idade mínima requerida para fazer um cadastro na rede social, que até então é 18 anos. No Brasil, poderão criar um perfil no site pessoas com 13 anos ou mais.

De acordo com a companhia, os menores de idade contarão com diferentes configurações padrão para limitar as informações públicas e comunicações indesejadas.

Em seu blog, a empresa disse que 200 instituições de ensino superior — entre elas a FGV (Fundação Getúlio Vargas)– já aderiram à novidade, e que, nas próximas semanas, outras milhares de universidades teriam acesso às suas próprias páginas.

LinkedIn

Deixe seu Comentário