Como equilibrar vida pessoal e profissional?

Nina Buik sabe o quanto o pessoal de TI trabalha. Como presidente da Encompass, um grupo com 16 mil pessoas de usuários de negócios da Hewlett-Packard (HP), Buik tem contato com uma ampla gama de profissionais de tecnologia dos quais todos parecem ficar conectados muito mais que as tradicionais 40 horas semanais de trabalho.

“Eu raramente converso com alguém que tenha ficado menos de 60 horas por semana em seus empregos”, diz ela, que também é vice-presidente sênior da MindIQ Corp., desenvolvedora de materiais para treinamento.

A própria Buik tem tentado trilhar um caminho diferente. Ela levou ao conhecimento de sua equipe que, uma vez que ela encerre seu dia de trabalho, não deve mais ser incomodada. Eles não devem contatá-la para assuntos de rotina e só devem lhe enviar mensagens de texto no celular em caso de extrema emergência.

“Se nosso site tiver algum problema, eu preciso ser contatada porque toda a nossa corporação está baseada no site”, ela explica. “Mas se acontece uma simples queda de energia, temos backup, por isso eu não preciso ser avisada imediatamente”, complementou.

Na medida em que as companhias usam cada vez mais a tecnologia para ajudá-las a fazer mais com menos recursos, profissionais de TI como Buik e sua equipe, estão claramente sentindo a pressão. Trata-se de uma pressão que atinge todos os níveis.

Algumas posições em TI, como o de help desk, ainda tentam seguir a tendência de adotar uma jornada de oito horas, mas alguns deles são freqüentemente chamados à noite ou nos finais de semana, além de seu horário tradicional das 9 às 5 da tarde.

Ao mesmo tempo, gerentes dos mais altos níveis hierárquicos estão acumulando suas horas de trabalho na medida em que tentam atender prazos cada vez mais curtos para responder às demandas de suas companhias ou clientes.

Hoje, em todos os níveis, profissionais de TI começaram a dar voz ao seu desejo de ter algum tempo livre para sua vida pessoal. Em outras palavras, eles querem, pelo menos, alguma sombra do que seja um equilíbrio entre vida e trabalho.

Dada a natureza do trabalho em TI e da realidade econômica no mercado de trabalho, encontrar tal balanço pode ser uma tarefa difícil. “Os profissionais de TI realmente trabalham longas jornadas. 50 horas por semana é uma média”, diz Luly Mok, que analisa o equilíbrio entre vida e trabalho em TI no Gartner.

“O trabalho na área de tecnologia requer empregados que trabalhem em turnos diferentes para que possam receber chamadas 24 horas por dia, sete dias por semana. Especialmente nos últimos anos, quando as organizações de TI começam a se apoiar em atividades de downsizing e outsourcing, as pessoas são requisitadas a trabalhar cada vez mais e a assumir mais responsabilidades”.

De acordo com o Departamento de Estatísticas de Trabalho dos Estados Unidos, a média de jornada de trabalho naquele país é de 9,3 horas por dia. Equipes de TI trabalham consideravelmente mais que isso, segundo outras estatísticas.

Segundo um deles, por exemplo, a média de jornada semanal para um programador, engenheiro ou técnico varia de 43 a 62 horas. Enquanto esses números parecem terríveis, desenvolvimentos recentes no nível corporativo contribuíram para melhorar a vida de alguns profissionais de TI uma vez que as companhias adicionam benefícios que atraiam novos talentos.

Jornadas de trabalho mais flexíveis, compartilhamento de trabalho, semanas mais condensadas e trabalho remoto são algumas das opções agora disponíveis para os profissionais de TI, diz Mok.

O pessoal de TI tem hoje um melhor equilíbrio entre vida e trabalho do que quando Leo Collins começou a atuar na área, 20 anos atrás. Collins, hoje CIO da Lions Gate Entertainment Corp., lembra, por exemplo, que os empregados nem sempre têm de estar fisicamente presentes no escritório para desempenhar suas funções hoje em dia.

Na verdade, um estudo divulgado em julho pela Robert Half Technology, companhia de recrutamento em TI, 44% dos CIOs pesquisados disseram que suas equipes atuam remotamente no mesmo patamar ou ainda maior que há cinco anos atrás.

Eles citaram maiores índices de retenção, melhor disposição e aumento da produtividade como os principais benefícios do trabalho à distância.

Enquanto esse parece ser um passo na direção certa, a indústria ainda tem um longo caminho a percorrer. Gerentes relutantes e uma cultura corporativa tirânica podem influenciar a forma como os benefícios de equilíbrio entre vida pessoal e trabalho são implementados em uma organização e quanto os empregados estão dispostos a buscar isso, afirma Mok.

Collins admite que, diante de todo o progresso, os profissionais de TI ainda tendem a permanecer no trabalho longas horas extras. “A regra é entre 50 e 60 horas”, ele admite, “mas nem sempre você precisa estar fisicamente presente”, complementa. De qualquer forma, “tentamos não adotar uma postura muito crítica”, ele diz. Por isso, se o funcionário precisa cuidar de assuntos pessoais, a empresa se dispõe a ajustar prioridades e distribuir tarefas entre a equipe, segundo ele.

Como você pode encontrar formas de equilibrar seu tempo pessoal e o de trabalho – mesmo se você está em uma companhia menos progressiva no assunto? Executivos de TI e profissionais de TI experientes dividem, a partir de agora, suas estratégias para encontrar a correta equação.

Acompanhe os 10 conselhos para conseguiur conciliar vida pessoal e trabalho sem culpa ou prejuízo para nenhum dos dois lados.

» 10 dicas para equilibrar vida pessoal e trabalho

Deixe seu Comentário