Aplicativo para turistas transforma celular em tradutor

O Laboratório de Convergência de Mídias da UFMA (Universidade Federal do Maranhão) criou um aplicativo que pretende auxiliar estrangeiros a entender placas ou menus de restaurantes no Brasil.

A ferramenta trabalha com a realidade aumentada – integração de informações virtuais com imagens reais – e traduz em áudio em diferentes idiomas assim que a câmera do celular ou iPad é apontada na direção das informações.

A solução porém, depende de investimento para ir parar nas mãos dos turistas.

Ainda se buscam financiamento público ou privado para continuar a desenvolver o Babel. Para funcionar com 10 mil pessoas ao mesmo tempo, por exemplo, é preciso uma estrutura de TI [tecnologia da informação] e de um servidor grande que armazene as informações das traduções. Isso demanda investimento.

O Babel é uma solução simples para tradução em várias situações, como, por exemplo, informações em aeroportos ou descrições de monumentos históricos. Para obter faturamento, o plano é fazer parcerias com empresas que se interessem por oferecer o serviço a clientes.

O custo para quem vai disponibilizar esse serviço para o cliente é a assinatura e a produção das traduções. É como se fosse mais uma ação de publicidade do estabelecimento. É poreciso comercializar, pois já existe um protótipo funcionando.

A ideia do aplicativo surgiu em novembro de 2012 durante uma conversa com outro professor. O profissional contou que havia ido ao Japão e que no país estava sendo desenvolvido um sistema no qual a pessoa falava em uma espécie de rádio comunicador e a outra ouvia o conteúdo traduzido em outra língua.

Pensando nas dificuldades linguísticas, mas de uma maneira que pudesse ser desenvolvida com mais praticidade e mais barata no Brasil, ele começou a trabalhar na ferramenta usando a realidade aumentada.

Aplicativo brasileiro para turistas transforma celular em tradutor

Um dos problemas mais graves desses eventos esportivos será a dificuldade do idioma.

Deixe seu Comentário