Vaio com ç e acento! Agora sim

por Sandra Carvalho

Um notebook Vaio é o típico tech dream de muito Infoescravo. É grife de respeito num mundo governado por fatores basicamente racionais. Até agora, o Vaio circulava por aqui sobretudo pelas mãos do contrabando. Agora vai é diferente – a Sony, finalmente, lançou o Vaio no Brasil.

Bom para quem faz questão de teclado ABNT, e prefere ficar longe dos teclados americanos e europeus que se encontra quando se viaja para fora do país. Bom também para quem se sente mal de se abastecer no mercado paralelo, ilegalmente.

No início, o Vaio oficial será forçosamente comparado com os Vaios que se acham por preços arrasadores nas mãos dos contrabandistas. Hoje se pode comprar um Vaio com Pentium Mobile de 1,73 GHz, 1 GB de memória e HD de 100 GB por menos de 4 mil reais. Nem é preciso procurar muito – basta dar dois ou três cliques no Buscapé.
Mas, com o tempo, a tendência é a Sony conquistar os consumidores, graças ao teclado brasileiro, o suporte técnico, os financiamentos longos do grande varejo. Aconteceu assim com a HP, cujos laptops inundavam o mercado paralelo com preços de pechincha e hoje se vendem muito mais pelo comércio ortodoxo.

Até ontem, eu nunca tinha usado um Vaio com teclado brasileiro, isto é, feito para ser usado por nós. E como é bom teclar num Vaio movido por algo parecido com ABNT! Com sua tela de 11 polegadas, com resolução de 1366 por 768, e seu teclado elegantíssimo, o Vaio VGN-TXN15BP, que chega às lojas em novembro, é irresistível…
A Sony não economizou nos recursos: com pouco mais de 1 kg, a maquininha tem drive de DVD embutido, leitor biométrico de dedo, todas as portas e tecnologias sem fio de praxe nos notebooks de topo de mercado, um alto-falante que dá para o gasto…

Melhor ainda, esse Vaio cabe em qualquer pasta ou bolsa, sem qualquer malabarismo. Ele tem a grande vantagem de já trazer embutido todo o pacote básico de um notebook – não é preciso levar, à parte, player de DVD, leitor de cartões e que tais – tudo o que a indústria costuma tirar dos laptops para produzir máquinas com apenas 1 kg.
Infelizmente, a Sony não economizou no preço: 11 mil reais. Não é preço para vender notebook como água, mas pelo menos é um começo.

Deixe seu Comentário