Seria o fim das DSLR?

Com a chegada do formato Micro 4/3 e dos dispositivos sem espelho, as reflex digitais de lente única podem ter apenas um destino: o nicho dos fotógrafos profissionais

Por Fabiana Baioni

O mundo da tecnologia fotográfica entrou numa nova era. As câmeras compactas de lentes intercambiáveis, chamadas mirrorless, vieram para imprimir um novo padrão ao futuro dos equipamentos.

Não se fala em outra coisa no PMA 2010 (Photo Marketing Association Annual Show ? Apresentação Anual da Associação do Mercado Fotográfico). Esse evento traz as inovações e os últimos projetos e lançamentos que as grandes companhias apresentam para o próximo ano. E o grande assunto desse PMA são as câmeras mirrorless e o padrão Micro Four Third.

Esse novo modelo de equipamento caiu nas graças dos entusiastas e profissionais que querem manter a mesma qualidade de imagem, sem ter que carregar uma enorme DSLR. E o mercado só tende a crescer. Além das pioneiras Olympus e Panasonic, a Samsung já apresentou sua câmera mirrorless e um conjunto de mais de oito objetivas em cerca de dois meses. A Sony não ficou para trás. Também já anunciou seus planos de concorrer no mercado de câmeras compactas de lentes intercambiáveis.

Mas para o blog Gadget Lab da revista Wired, essa nova tecnologia pode ser uma ameaça ao futuro das DSLR, que durante muito tempo foram os equipamentos que mais cresceram dentro do mercado fotográfico.

As Digital Single Lens Reflex, (Reflex digital de lente única, em português) eram a única alternativa para aqueles que buscavam um sensor maior e uma boa resposta do obturador. Unindo a isso, as DSLR também eram as únicas câmeras digitais que permitiam a troca de objetivas. Com a chegada das mirrorless e do formato Micro 4/3 os consumidores podem ter tudo o que tinham numa DSLR em um corpo muito menor.

Isso por si só já é motivo suficiente para dar uma sacudida no mercado. Mas como se não bastasse, a criação de adaptadores para as compactas Micro 4/3 permite que lentes das mais variadas marcas, como Canon, Nikon e Leica sejam usadas nas mirrorless. Isso significa que aquelas antigas objetivas vindas do formato analógico até as mais atuais, podem, a partir de agora, ter um novo destino.

Ainda de acordo com a Wired, os adaptadores existem há muito tempo, mas não funcionavam bem. A distância extra entre o sensor e a objetiva imposta pelo adaptador, fazia com que muitas lentes perdessem seu foco no infinito. Já com as compactas de lente intercambiável, os adaptadores funcionam muito melhor. Já que essas câmeras não possuem a caixa de espelhos, as lentes, naturalmente, ficam próximas demais do sensor. Com os adaptadores, as objetivas DSLR são colocadas um pouco mais distantes desse sensor mantendo assim sua funcionalidade.

A grande questão agora é: se com esses adaptadores, todas as objetivas, de diferentes marcas podem ser utilizadas em qualquer corpo de formato mirrorless, qual será o futuro das DSLR? Continuarão existindo? Vão se direcionar unicamente aos profissionais da área? E as empresas como Canon e Nikon? Também vão entrar no mercado Micro 4/3? Lançarão seus próprios adaptadores permitindo que suas objetivas, além de funcionarem em modo manual, mantenham suas funções de autofocus e controle de abertura?

É esperar pra ver.

Receba essa e muitas outras notícias no seu celular. Envie igtecnologia para 49094

Continue lendo »

Deixe seu Comentário