Que tal um chat com jeito de Youtube?

por Marlos Mendes

As mensagens eletrônicas digitadas no teclado e enviadas em forma de texto pela Internet podem estar prestes a se tornar coisa do passado. A nova onda que começa a ganhar força é uma tecnologia que permite chats e troca de mensagens em vídeo, uma mistura de e-mail, messenger e YouTube, que pretende mudar a forma de as pessoas se comunicarem.

Atende pelo nome de TokBox e está no ar em fase beta. Além de usar o formato Flash Video, o TokBox deve ganhar em breve mais um ponto em comum com o YouTube. O Tokbox receberá em breve 4 milhões de dólares em investimentos do mesmo grupo que apostou no site de vídeos e faturou com sua aquisição pelo Google.

Bate-papos em vídeo (ou videochats) são possíveis em programas como Skype. Contudo, eles exigem download e instalação de software, além da conexão simultânea dos falantes. O TokBox dispensa tudo isso. É preciso apenas uma webcam e conexão em banda larga. Os vídeos são exibidos diretamente no navegador. Se uma das pontas não estiver online, pode-se deixar uma mensagem de até 5 minutos. Tudo grátis, claro.

O cadastro é simples, requer um e-mail e um nome de usuário. O internauta pode importar sua lista de contatos de mensageiros instantâneos e webmails. Pode-se adicionar um botão TokBox em blogs e redes sociais. Ao clicá-lo, o dono do site é convidado para o videochat.

YouTube usa ferramenta antipirataria

O YouTube começou a testar publicamente a tecnologia antipirataria do Google para evitar a publicação de conteúdo protegido por copyright. Trata-se de uma base de dados com arquivos de referência sobre o material original, o DNA dos vídeos. O YouTube afirma que a tecnologia é capaz de vasculhar vídeos de até 3 horas com o novo sistema. O site de vídeos tem sofrido processos na Justiça por desrespeito a direitos autorais.

Os vídeos do YouTube começaram a funcionar como mais uma camada do Google Earth, que já contava com informações em texto e fotos adicionadas aos mapas. O usuário do Google Earth não adiciona os clipes. O usuário do YouTube informa dados geográficos ao cadastrar o vídeo no sistema.

TokBox.com

2 Comments

  1. Eduardo Tetera 7 de setembro de 2009
  2. lara 7 de setembro de 2009

Deixe seu Comentário