Motorola dividida não é novidade

Retrospectiva

Para quem não sabe, a Motorola já tinha planos de se desfazer do seu ramo de celulares, e posteriormente, o de receptores.

Porém a companhia nunca conseguiu compradores interessados em adquirir tais ramos de atividade.

Em um mercado restritivo, pequeno e altamente concorrido, realmente não há espaço, e muito menos interesse (do ponto de vista financeiro), de se realizar fusões, ou mesmo aquisições de concorrentes.

Nosso atual mercado de telefonia celular é um verdadeiro campo de batalha, onde não há espaço para derrotados. Todas as companhias do setor são empresas consolidadas, que disputam no mercado cliente a cliente, e nenhuma delas quer ceder um milímetro sequer de espaço para suas concorrentes.

Com a tentativa em vão de vender seus segmentos, a Motorola precisou engendrar uma alternativa radical para seus planos. A companhia então, consolidou um plano que iria solucionar todos os seus problemas de uma só vez – a separação de sua empresa em dois novos segmentos.

Os preparativos para essa separação já estavam prontos desde 2008. Porém, devido ao crescimento de concorrentes de peso como a Apple, a empresa perdeu uma boa parte de sua porcentagem de mercado, levando ao adiamento de seus planos até o último trimestre de 2009. E foi justamente nesse período que a Motorola apresentou lucro em suas operações, e com isso, pode retomar seus planos originais.

Porém, todo o processo de separação ainda estava dependente de alguns fatores como, o desempenho da divisão de dispositivos móveis, o andamento do próprio mercado de celulares, e o principal, o estado do atual ambiente econômico mundial.

Jamais se esqueçam da crise global, que em meados de 2008, assolou todo o planeta, mergulhando grandes e consolidadas empresas em um verdadeiro mar de instabilidade financeira. Somente ao final de 2009 que a maioria das companhias conseguiram se recuperar e, de forma cumulativa, apresentar lucros em suas operações financeiras.

A apresentação prévia deste ousado plano por parte da Motorola, foi decidida pela própria empresa, visando ter tempo hábil para esclarecer todas as dúvidas de seus consumidores, funcionários e, principalmente, de seus investidores. Com isso, a companhia também garantirá o tempo certo para que as novas empresas geradas, possam desembarcar com segurança em seus novos ramos de atuação.

Deixe seu Comentário